FANDOM


BOB (ou Killer BOB) é uma entidade do Salão Negro, um reino de maldade puro que existe em um plano alternativa de realidade. Ele passa a maior parte do seu tempo na Terra possuindo seres humanos, embora ele também viaje na forma de uma coruja. Enquanto possui humanos, ele comete atos terríveis para infligir dor, medo e sofrimento sobre aqueles ao se redor. Os habitantes do Salão Negro se referem a esses sentimentos como "Garmonbozia", a qual serve como uma forma de alimento.

BiografiaEditar

Quando Leland Palmer era criança, BOB vivia perto do avô dele. Ele provocava Leland, perguntando "você quer brincar com fogo, garotinho?"[1] BOB eventualmente acabou possuindo Leland.[2]

BOB passou vários anos trabalhando junto com MIKE, se alimentado do medo e da dor, até que MIKE "viu a face de Deus" e cortou seu próprio braço fora.[3]

Assassinato de Teresa BanksEditar

BOB apareceu na Sala de Reuniões em frente ao Homem de Outro Lugar, o qual falou sobre a Garmonbozia e observou a mesa de Fórmica na frente deles.[4]Durante a reunião, BOB disse "Eu tenho a fúria do meu próprio impulso", ao que o homenzinho respondeu "com esse anel, eu o caso," e riu com BOB. O homenzinho então disse "o fogo caminha comigo," e BOB aplaudiu. O homenzinho e BOB então saíram através de um conjunto de cortinas.[5]

Em 1988, após Leland mudar de ideia sobre ter sexo com a prostituta Teresa Banks e as amigas dela -- uma das quais era a própria filha de Leland, Laura -- e ser chantageado por Teresa, BOB tomou controle dele e a matou.[4]

Assassinato de Laura PalmerEditar

Em 1989, tendo molestado Laura por anos, BOB queria tomar o controle de Laura, afirmando desejar "provar através" da boca dela. Laura mais tarde encontrou BOB atrás de seu armário, onde ela escondia seu diário secreto.[4][5]

Algumas noites mais tarde, BOB entrou pela janela de Laura e começou a estuprá-la. No entanto, Laura acabou vendo a aparência dele mudar para a de Leland, horrorizando-a e confirmando seu maior medo, de que esse tempo todo era seu pai o estuprador.[4]

Na noite de 23 de Fevereiro, ele seguiu Laura até uma cabana, onde ela teve relações sexuais com Leo Johnson, Jacques Renault e Ronette Pulaski. Quando Jacques saiu, BOB/Leland o nocauteou.[4] Ele levou Laura e Ronette até um vagão de trem, onde ele assassinou Laura, não tendo conseguido a tomar como um hospedeiro. Ele envolveu o corpo dela em plástico e a jogou no rio. Ele então retornou ao Salão Negro, onde MIKE exigiu sua garmonbozia. BOB removeu o sangue da camisa de Leland e o jogou no chão.[4]

Bobsketch

Durante a investigação do assassinato de Laura, BOB foi visto em visões por Sarah Palmer, Dale Cooper, e Maddy Ferguson.

LelandBob

Através de Leland, ele assassinou Maddy, batendo com a cabeça dela em um quadro na casa dos Palmer. Ele guardou o corpo dela em uma bolsa de golfe, mais tarde o envolvendo e plástico e o jogando no rio, assim como fez com Laura.[6]

Após Leland ser levado em custódia e ser revelado pelas autoridades como o hospedeiro de BOB, BOB o forçou a cometer suicídio. Nos seus últimos momentos, Leland fez obscuras referências ao homem no lago o molestando quando criança, antes de afirmar que nunca sabia quando BOB estava no controle de seu corpo.[6]

Após Leland morrer, Cooper entrou em um debate filosófico com o Xerife Truman e Albert Rosenfield sobre quão real BOB era, e se BOB era, de fato, uma encarnação física dos demônios pessoais reprimidos de Leland. Embora eles não chegaram a concordar com uma única ideia, eles chegaram a conclusão que BOB era uma manifestação do "mal que o homem causa".[6]

Após a morte de Leland, a presença de BOB não foi notada novamente, somente após a morte repentina de Josie Packard, quando Cooper teve uma visão de BOB agachado gritando "Coop, o que aconteceu com Josie?!"[7]

Visita de Cooper ao SalãoEditar

Quando Windom Earle tentou tomar a alma de Cooper no Salão Negro, BOB disse que ele não podia pedir a alma de Cooper. Ele então tomou a alma de Earle. Após Cooper partir, o doppelgänger dele apareceu e começou a rir com BOB.[8]

Após o doppelgänger de Cooper escapar do Salão Negro, BOB apareceu no espelho para ele e o quebrou, rindo e perguntando, "Como está Annie?"[8]

Após perceber que o Xerife Harry S. Truman e o Dr. Will Hayward o ouviram quebrando o espelho, BOB deitou no chão e ao ser erguido pelos amigos de Cooper, explicou que havia escorregado e batido com a cabeça no espelho. Quando Harry disse que eles deviam o levar para um hospital, BOB meramente afirmou "Mas eu ainda não escovei meus dentes."[5]

Modus OperandiEditar

Após cometer um crime, ele coloca uma letra sob a unha do dedo anelar para formar o nome "Robertson". As letras são cortadas de uma edição da revista Flesh World. As letras reveladas são:

  • T para Teresa Banks
  • R para Laura Palmer
  • B para Ronette Pulaski
  • O para Maddy Ferguson

Após isso, ele envolve a vítima em plástico e as joga em um rio.

Aparições Não CanônicasEditar

Piloto InternacionalEditar

BOB é visto por Sarah Palmer, agachado atrás da cama de Laura.

CoopHarryConfrontBOB

No porão do hospital, BOB fica sobre um círculo de velas e dá as boas-vindas ao Agente Cooper e ao Xerife Truman ao "covil do assassino". Eles se aproximam dele e ele pergunta se MIKE está com eles. BOB então fala com MIKE, dizendo: "Cara, coroa, correndo para estar com o patife, a noite cai, a manhã chama, pegar você com meu saco da morte. O xerife Truman pergunta a ele o que as letras encontradas sob os dedos de Laura Palmer e Teresa Banks queriam dizer, e BOB responde que elas iam soletrar seu nome próprio, "Robert". Ele promete que irá matar de novo, então MIKE aparece, disparando nele até o matar.

BastidoresEditar

O centro da série Twin Peaks era o mistério de quem matou Laura Palmer. Quando a produção começou no episódio piloto, os criadores da série David Lynch e Mark Frost decidiram que o assassino seria revelado como Leland Palmer, o pai de Laura. Durante a filmagem de uma cena no piloto, a qual teve lugar no quarto de Laura, Frank Silva, um montador de set durante as filmagens e também um ator, acidentalmente se prendeu na sala antes da filmagem por inadvertidamente mover um cômoda para a frente da porta. Lynch viu uma imagem de Silva preso na sala e pensou que isso poderia caber na série de alguma forma, e disse a Silva que gostaria que ele estivesse na série. Lynch fez com que Silva se agachasse ao pé da cama de Laura e olhasse através das barras do pé, como se estivesse "preso" atrás delas, e filmou-o, depois deixou Silva sair da sala e filmou o quarto vazio. Após rever as filmagens, Lynch gostou da presença que Silva trouxe para a cena e decidiu que ele iria colocá-lo em algum lugar da série.

Mais tarde naquele dia, uma cena estava sendo filmada em que a mãe de Palmer tinha uma visão que a assusta. Na época, o roteiro não indicava o que a Sra. Palmer havia visto para assustá-la. Lynch estava satisfeito com o resultado da cena, mas um membro da equipe informou-o de que teria que ser refilmada porque um espelho na cena havia inadvertidamente pego o reflexo de alguém. Quando Lynch perguntou quem era, o membro da tripulação respondeu que tinha sido Silva. Lynch considerou isso um "feliz acidente" e decidiu que o personagem sem nome a ser interpretado por Silva seria revelado como o verdadeiro assassino de Laura Palmer.

CuriosidadesEditar

  • No Episódio 1, Sarah Palmer tem uma visão de BOB enquanto abraçava Donna. A visão consistia de BOB agachado aos pés da cama de Laura. No script, a visão consistia de um longo e vazio corredor de hospital, com BOB correndo na direção da câmera. Essa cena chegou a ser filmada, mas foi considerada muito "estranha" por Lynch e nunca foi usado, exceto por um breve corte dela durante o sonho de Ronette com BOB durante o Episódio 8.
  • O nome "Bob" era uma referência ao Bob's Big Boy, um restaurante onde David Lynch pedia a mesma comida todos os dias durante vários anos.

ReferênciasEditar