FANDOM


Leo Johnson é um caminheiro, o qual também trabalha como a fonte primária de narcóticos de Twin Peaks, os quais ele obtém dos Irmãos Renault, e trafica sobre a fronteira Canadense/EUA para distribuir em Twin Peaks. Por causa de sua versatilidade criminal, o Xerife Truman nunca foi capaz de obter uma evidência de suas transações criminosas.

Leo é casado com Shelly, uma das garçonetes no restaurante da cidade. Devido ao seu temperamento volátil, ele a espanca regularmente por transgressões reais e imaginárias, que vão desde sua infidelidade com o futebolista do colegial Bobby Briggs, até sua insatisfação com a maneira como ela lava o chão da cozinha. Shelly certa vez disse que Leo se casou para ter uma empregada que não precisasse pagar.

BiografiaEditar

Leo foi encarcerada em Hungry Horse, Montana em 9 de Fevereiro, 1988.[1]

Em algum momento, ele enviou um anúncio para o Flesh World contendo uma foto de seu caminhão.[2]

Em um dia em meados de Fevereiro de 1989, Leo abusou de sua esposa, Shelly, ensinando-a sobre como limpar a casa. Bobby Briggs então ligou, pedindo uma remessa de cocaína para vender, mas Leo se recusou, já que Bobby lhe devia $5.000.[3][4]

Leo, Jacques Renault e Ronette Pulaski se encontraram com Laura perto de uma cabana na noite de 23 de Fevereiro, onde se envolveram em sexo e cocaína. Em algum ponto durante a noite, Leo acertou Jacques na cabeça com uma garrafa e Jacques usou a camisa de Leo para secar seu sangue.[5] Jacques amarrou Laura contra sua vontade e depois de ter relações com ela, Laura pediu a Leo para soltá-la, mas ele furiosamente recusou depois de encontrar Jacques inconsciente do lado de fora da cabana. Ele pegou seus pertences e foi embora.[3]

LeoPilot

Na manhã seguinte, Laura foi encontrada morta, envolta em plástico. Mais tarde, enquanto Shelly assistia à cobertura de notícias sobre a morte de Laura, Leo examinou a bandeja de cinzas em sua casa, notando que havia diferentes tipos de pontas de cigarro. Quando ele a questionou, Shelly disse que ela simplesmente fumava tudo o que encontrava na lanchonete, mas ele aconselhou que ela começasse a fumar apenas uma marca daquele momento em diante e a ameaçou se ela não fizesse o que ele disse.[6]

Leo limpava seu caminhão no dia seguinte quando Shelly apareceu. Quando ela disse que havia terminado de lavar roupa, ele deu outra sacola de roupas e ordenou que ela as lavasse. Quando Norma Jennings chegou para levar Shelly para o trabalho, Leo disse a sua esposa para guardar um pedaço de torta para ele.[7]

Mais tarde ele procurou freneticamente pela camisa manchada de sangue que Jacques havia usado para se limpar, mas não conseguiu encontrá-la.[7]

Ele mais tarde estava abrindo uma bola de futebol quando Shelly chegou em casa. Ele colocou uma barra de sabonete em uma meia e a questionou sobre a camisa que faltava antes de espancá-la.[7]

Leo foi ao bosque na noite seguinte para ver Bobby Briggs e Mike Nelson, os quais lhe deviam $10.000, mas eles disseram que o dinheiro estava com Laura antes de ela morrer. Ele disse que sabia que Shelly o estava traindo, mas não disse se sabia com quem. Ele então disse a eles para darem o fora.[8]

No dia seguinte, ele foi visitado pelo Xerife Harry S. Truman e o Agente Especial do FBI Dale Cooper, os quais o questionaram sobre Laura Palmer, mas ele negou conhecê-la pessoalmente. Ele também negou ter um registro criminal, mas isso foi rapidamente refutado por Cooper. Ele disse que estava na estrada no momento em que Laura foi morta e disse que sua esposa iria confirmar isso.[9]

Mais tarde, ele recebeu um telefonema de Jacques Renault, o qual informou que seu irmão, Bernard Renault, estava em apuros e pediu Leo para buscá-lo. Ele saiu quando Shelly voltou do trabalho.[9]

Leo se encontrou com Benjamin Horne no bosque na noite seguinte e mostrou-lhe o corpo de Bernard Renault, dizendo que o matou. Eles então arranjaram para que o Leo queimasse a Serraria Packard.[10]

Leo chegou em casa na noite seguinte e levou latões de gás para sua caminhonete. Ele foi então espancado e ameaçado por Hank Jennings antes de entrar. Ele ordenou a Shelly que lhe trouxesse uma cerveja, mas quando ela perguntou o que aconteceu, ele a empurrou com raiva, a derrubando, e ela pegou uma pistola. Enquanto ele andava em direção a ela, Shelly acabou disparando no braço de Leo e ele fugiu.[2]

De sua caminhonete, Leo espiou Bobby entrando em sua casa para ver Shelly, a qual o recebeu com um abraço. Ele apontou um rifle, esperando para disparar em Bobby, mas ouviu uma transmissão de rádio da delegacia do Xerife a respeito de um pássaro e entrou rapidamente em seu caminhão.[11]

Ele mais tarde apareceu do lado de fora da delegacia do xerife e disparou no pássaro de Jacques, Waldo.[11]

Na noite seguinte, ele entrou em sua casa enquanto Shelly lavava os cabelos na pia da cozinha. Quando ela foi pegar a toalha, Leo a agarrou e levou-a para a serraria, onde ele a amarrou e trouxe gasolina para dentro do prédio. Ele armou uma bomba e mostrou-a a Shelly, afirmando seus planos de matar Bobby antes que a bomba explodisse em uma hora.[12]

Leo voltou para sua casa e esperou. Bobby logo chegou, procurando por Shelly. Enquanto tentava matar Bobby com um machado, alguém disparou da rua em Leo pela janela da sala.[12]

Leo foi levado para o hospital e ligado a tubos, a bala tendo sido alojado em sua coluna vertebral. Ela foi removido, mas temia-se que ele ficasse possivelmente paralisado.[13]

Leo retornou para casa dias depois como um inválido confinado a uma cadeira de rodas. Ele foi empurrado pela sua casa por Bobby, o qual esbarrou com ele em vários objetos, já que Leo só era capaz de ficar sentando, olhando e gemendo.[14]

Bobby e Shelly mais tarde deram uma festa, celebrando sua condição atual, enquanto ele ficava sentado e respirando em um apito. Bobby trouxe um bolo e Leo acabou caindo de cara nele.[14]

No dia seguinte, ele se sentou em sua cadeira de rodas na mesa da cozinha e começou a gritar. Ele então cuspiu e disse: "Sapatos novos".[15]

Ele mais tarde continuou a cuspir e dizer "sapatos novos", enquanto Bobby e Mike quebraram a sola de uma das botas de Leo e encontraram uma fita-cassete.[15]

Dois dias depois, Leo foi levado para o bar, onde o Agente Cooper usou "magia" para determinar a identidade do assassino de Laura: Leland Palmer.[16]

Leo foi usado no dia seguinte por Bobby para sustentar um espelho, enquanto ele vestia um dos ternos de Leo.[17]

Shelly mais tarde escovou os dentes dele. Quando ela saiu para atender uma ligação de Bobby, Leo acabou se movendo.[17]

Alguns dias depois, Leo estava sendo alimentado por Shelly e ele acabou cuspindo nela.[18]

LeoOutofWheelchair

Mais tarde, à noite, Shelly acabou encontrando Leo de pé e sorrindo para ela, enquanto a energia da casa falhava.[18]

Enquanto Shelly tentava escapar de sua casa, Leo conseguiu mantê-la presa. Ele pegou um machado e se preparou para matá-la, mas foi interrompido por Bobby. Leo o pressionou contra a parede com o cabo do machado, mas foi esfaqueado na perna por Shelly. Ele acabou escapando através de um buraco cortado no plástico que cobria a parede inacabada da casa.[19]

Leo vagou pelo bosque até que encontrou uma cabana. Ao entrar nela, um homem chamado Windom Earle deu-lhe as boas-vindas.[19]

Leo acordou na manhã seguinte e descobriu que Earle havia encontrado sua histórico criminal. Leo levantou-se, mas Earle derrubou-o e o prendeu, declarando que Leo era um peão para ele e colocou uma coleira de choque nele.[20]

Earle forçou-o a transcrever um poema e mostrou-lhe retratos de Donna, Shelly e Audrey, perguntando qual seria sua rainha.[20]

Durante os dois dias seguintes, ele foi usado por Earle como uma espécie de servo, incluindo fazer flechas para ele[21] e trazer-lhe seus pertences, como seus chinelos, cachimbo e um jornal.[22]

Leo ficou sentado enquanto Earle escutava uma conversa na delegacia do xerife através de uma escuta que havia colocado em um bonsai. Earle fez com que Leo escolhesse uma carta de um baralho e anunciou que o vencedor do Concurso Miss Twin Peaks morreria.[23]

No dia seguinte, Earle contou a Leo sobre um bom lugar chamado Salão Branco e um lugar maligno chamado Salão Negro.[24]

Mais tarde, Leo deu a Rusty Tomasky - um jovem atraído para a cabana pelas promessas de cerveja de Earle - um gole de cerveja enquanto ele estava dentro de um grande peão de xadrez construído por Earle. Earle então pegou uma besta e disse a Leo para lhe trazer uma flecha. No entanto, ele recusou e recebeu imediatamente um choque de seu colar até que obedecesse. Earle disparou então a flecha em Rusty, matando-o.[24]

No dia seguinte, Earle disse a Leo que desejava conversar com o Major Garland Briggs, o qual anteriormente trabalhou com ele no Projeto Blue Book.[25]

Mais tarde, Earle contou a Leo sobre os Dugpas e o quanto ele teria gostado deles. Ele viu a carta com o rosto de Shelly e disse o nome dela. Earle perguntou a Leo se ele lamentaria sua morte, talvez até mesmo o ajudaria a matá-la se ela ganhasse como Miss Twin Peaks. Leo se negou e apontou o controle do colar de choque para Windom, o qual recuou, fingindo estar com medo, até que Leo deu choque em si mesmo.[25]

Em uma fantasia de cavalo, ele e Earle mais tarde incapacitaram o Major Briggs.[25]

Leo assistiu enquanto Earle interrogou Briggs, então foi ordenado a colocá-lo na cama.[25]

Leo foi acorrentado na cabana por Earle, com o Major Briggs ao seu lado. Ele conseguiu alcançar a mesa contendo uma chave, mas era para as algemas de Briggs. Ele o libertou e disse para salvar Shelly. Quando Briggs saiu, Leo olhou para a carta com o rosto de Shelly. Earle retornou e descobriu que Briggs havia partido, e ele começou a balançar um saco na frente de Leo enquanto sorria.[26]

IsThisTheEndOfLeoTuneInNextWeekSameBatTimeSameBatChannel

Mais tarde, Earle deixou a cabana para sempre, com um ninho de tarântulas acima da cabeça de Leo, pronto para cair se ele soltasse uma corda que ele estava segurando entre os dentes.[26]

Aparições Não CanônciasEditar

Sketch do Saturday Night LiveEditar

SNL

Leo (interpretado por Chris Farley) confessa ter matado Laura e é levado ao quarto do Agente Cooper no Hotel Great Northern, pronto para passar seu tempo na cadeia, mas antes exige uma cerveja.

Leland entra para agradecer a Cooper por encontrar o homem que matou Laura, mas o Agente diz que o assassino ainda está livre. Audrey Horne entra e Leo interrompe para mostrar a Cooper fotos dele prestes a matar Laura, matando Laura e embrulhando o corpo de Laura em plástico. O Agente ainda não está convencido.

Cooper pega uma pedra, dizendo que se ele quebrar a janela com ela, Leo é inocente. Ele joga a pedra e quebra a janela, mas isso só irrita Leo, o qual diz que enviou várias notas a Cooper, nas quais ele confessava o crime.

Quando o Xerife Truman e o Andy o escoltam, Cooper pergunta quem atirou nele uma noite no hotel, e Leo confessa ser o culpado.

BastidoresEditar

Leo foi interpretado por Eric Da Re, filho da diretora de elenco de Twin Peaks, Johanna Ray, e do ator Aldo Ray, o qual havia sido originalmente escalado para o filme de 1984 de David Lynch Duna, até ser substituído por Patrick Stewart devido ao seu alcoolismo.

No script original do Episódio 29, Hawk e o Major Briggs chegam até a cabana e Leo sorri quando os vê, o que então faz com que as tarântulas caiam em cima dele. Os gritos e os disparos de Leo são então ouvidos. No entanto, como essa cena não foi filmada e ele não foi confirmado para aparecer na série de 2017, o destino de Leo é atualmente desconhecido.

CuriosidadesEditar

  • Embora a agente Tamara Preston declare explicitamente que Ray Palmer não possui relações com a família Palmer de Twin Peaks e o presidente Truman não estar relacionados com a família de Twin Peaks, ela não escreveu nada sobre uma possível ligação entre 'Liver-Eating' Johnson e a família de Leo Johnson. Aliás, uma foto de mountain man é visto na casa de Leo Johnson no Episódio 6.

GaleriaEditar

ReferênciasEditar