FANDOM


Esse é um artigo sobre o habitante do Salão Negro. Para o residente de Twin Peaks de mesmo nome, veja Mike Nelson


MIKE é um espírito que pode habitar um hospedeiro humano, similar a BOB, o qual era seu parceiro no assassinato em série. Depois de cometer vários estupros/assassinatos com BOB, MIKE afirma ter tido uma epifania religiosa e se arrependeu, cortando seu próprio braço fora para se livrar de uma tatuagem "FIRE WALK WITH ME" (O FOGO CAMINHA COMIGO), o que simbolizava ser tocado pelo "diabólico". BOB, no entanto, não se arrependeu. MIKE passou anos tentando encontrar e impedir BOB. Atualmente, ele habita o vendedor de sapatos Philip Michael Gerard.

BiografiaEditar

MIKE passou vários anos com BOB como um estuprador e assassino em série, vivendo em uma loja de conveniência, até que MIKE "viu o rosto de Deus" e cortou seu braço esquerdo fora. Depois disso, ele alegou ter se dedicado a tentar impedir BOB, e viveu no corpo de um vendedor de sapatos conhecido como Philip Michael Gerard.[1][2]

Em Fevereiro de 1989, MIKE atacou Leland Palmer - o hospedeiro de BOB - durante uma agitação no trânsito, onde ele acusou de Leland de "roubar o milho."[3]

Ele mais tarde sentou na frente de um círculo de velas, cantando "o fogo caminha comigo" e apagando as velas.[4]

Na noite do assassinato de Laura Palmer, MIKE correu pelo bosque, tentando impedir BOB, jogando um anel em um vagão de trem, o que impediu Laura de ser possuída. Mais tarde ele enfrentou BOB no Salão Negro. MIKE exigiu que BOB devolvesse seu garmonbozia roubado. BOB respondeu por puxá-lo para fora de Leland, sob a forma de seu próprio sangue.[3][5][6][7]

Durante os dois dias seguintes, Gerard foi para o Hospital Calhoun Memorial, onde foi visto pelo Agente Especial Dale Cooper do FBI, o Xerife Harry S. Truman e o Oficial Hawk.[1][8]

Posteriormente, ele foi visto como MIKE em um sonho pelo Agente Cooper, no qual ele explicou que ele viveu com BOB em uma loja de conveniência e que ele havia cortado o seu braço, o qual possuía uma tatuagem.[5]

ItSaidMom

Gerard estava hospedado no quarto 101 no Motel Timber Falls quando o Xerife Truman e o Agente Cooper arrombaram a porta alguns dias depois. Foi mostrado a ele um esboço de um homem com longos cabelos grisalhos, mas ele negou saber quem era. Então perguntaram a ele se conhecia alguém chamado "Bob", ao que ele respondeu que seu melhor amigo era chamado Bob Lydecker, o qual estava em coma. Eles questionaram como ele havia perdido o braço e ele disse que foi o resultado de um acidente de carro e afirmou ser um vendedor de sapatos. Quando perguntaram se no seu braço perdido havia uma tatuagem, ele começou a chorar e disse que a tatuagem dizia "Mamãe."[9]

Vários dias depois, Gerard foi para a estação do xerife com uma maleta de amostras de sapatos para o Xerife Truman ver, mas eles estava ocupado.[6]

Voltando mais tarde nessa semana, ele mostrou ao Xerife Truman pares de sapatos. Ele acabou vendo um esboço do homem de cabelos compridos, o qual pareceu assustá-lo. Ele se desculpou como Xerife, afirmando ter que tomar sua medicação.[10]

Ele foi ao banheiro e tomou a medicação, o que o fez tremer e dizer a BOB que sabia que ele estava perto e que estava atrás dele. Ele então fugiu da Delegacia, deixando suas coisas para trás, incluindo a seringa que usou para injetar sua medicação.[10]

Philip Gerard

Alguns dias depois, Gerard foi levado novamente a Delegacia pelo Oficial Hawk e ao escritório do Xerife Truman para ser interrogado. Mais tarde, ele foi levado para a sala de conferências com Cooper, Truman, Hawk e o Chefe do Escritório Regional do FBI Gordon Cole. Ele reclamou que precisava de seu remédio e podia "sentir a mudança". Cooper notou que sua combinação de medicamentos continha elementos encontrados no haloperidol, uma droga que trata a esquizofrenia ou múltiplas personalidades. Cooper se recusou a lhe dar o remédio e ele acabou mudando para o espírito habitante, MIKE. Ele explicou que Gerard era seu hospedeiro e descreveu BOB como seu familiar e como uma espécie de espírito parasita que se alimentava do medo e prazeres. Ele então explicou que removeu seu braço após ver o rosto de Deus e expressou seu desejo de impedir BOB. Ele afirmou que o verdadeiro rosto de BOB só podia ser visto pelos "privilegiados e os malditos". Ele também disse que BOB estave perto por quase quarenta anos e que ele estava em uma grande casa feita de madeira, com muitos quartos, o que Cooper deduziu ser o Hotel Great Northern.[2]

Na parte da manhã, depois de um café com o departamento do xerife, ele foi levado para o hotel, onde um por um, foram levado os hóspedes para determinar se eles eram BOB. Ele acabou tendo uma convulsão quando Benjamin Horne entrou na sala.[11]

Sob vigilância do departamento do xerife, MIKE dormiu no Great Northern até que o coto de seu braço começou a se mexer e ele acordou, comentando: "Ele está perto" e pediu um copo de água para a enfermeira que cuidava dele. Quando ela saiu, ele levantou-se de sua cama, nocauteou o oficial que veio vigiá-lo e escapou por uma janela aberta.[12]

Ele foi trazido de volta à estação por Hawk e até a sala de interrogatório, onde Benjamin Horne estava presente para ser interrogado pelo assassinato de Laura Palmer. MIKE disse que BOB não estava perto, mas Harry mesmo assim acusou Horne do assassinato. Ele foi então levado de volta ao hotel.[12]

No dia seguinte, desidratado e necessitado de seu remédio, o Agente Cooper tentou chamar sua atenção. Ele contou a MIKE sobre um sonho que teve com Laura. MIKE descreveu seu relacionamento com BOB e um círculo de ouro - o anel de Cooper - que ele deu a um Gigante. Ele insistiu que o Gigante era a única maneira de encontrar o assassino de Laura e que lele havia dado todas as pistas de que ele precisava. MIKE então adormeceu.[13]

No Salão Negro, Cooper foi confrontado pelo Homem de Outro Lugar, o qual perguntou, "Você sabe quem eu sou?" Cooper balançou a cabeça, ao que O Homem de Outro Lugar respondeu, "Eu sou o braço," se referindo ao braço de MIKE.[3]

Aparições Não CanônicasEditar

Piloto InternacionalEditar

MIKE chama o Agente Cooper, comentando que é uma noite estranha e que há algo no ar. Ele também diz que sabe quem matou Teresa Banks e dos "pontos com o fio vermelho". MIKE diz a Cooper que ele está no hospital e desliga.

Ele aguarda Cooper e o Xerife Truman na sala onde eles examinaram o corpo de Laura Palmer. Ele recita "Através da escuridão do passado futuro, o mago anseia por ver, um canto entre dois mundos, o fogo caminha comigo", e diz a eles que seu nome é MIKE e que ele viveu acima de uma loja de conveniência com um homem chamado BOB. Ele diz que estava no elevador mais cedo, procurando BOB e que tinha uma tatuagem no ombro, mas cortou o braço quando viu a face de Deus. O Xerife Truman mostra-lhe um esboço da polícia de um homem careca e MIKE diz que não é BOB. Em seguida, ele mostra um esboço de um homem de cabelos compridos, o qual MIKE identifica como BOB e diz que ele está no porão.

Seguindo o Agente Cooper e o Xerife Truman, MIKE vai até o porão, onde BOB chamada por ele. MIKE ouve BOB prometer matar novamente, ele então saca uma arma e dispara em BOB até matá-lo, o que lhe causa uma grande dor, enquanto ele cai no chão.

BastidoresEditar

MIKE/Gerard foi interpretado pelo ator Americano Al Strobel, o qual também aparecerá na série de 2017.

CuriosidadesEditar

  • MIKE iria originalmente apenas aparecer no piloto como uma homenagem à série de televisão O Fugitivo . Quando David Lynch decidiu usar o personagem no Piloto Internacional, ele ficou tão impressionado com a atuação de Strobel que ele lhe deu um papel recorrente.
  • O filme e a série oferecem motivações conflitantes para as ações da MIKE. Embora MIKE mostre-se com remorso por ter sido "parceiro" de BOB da série, ele é mostrado como sendo algo como um superior de BOB no filme, bem como impenitente e ainda se alimentando de garmonbozia. Isso é contrário a sua "confissão" a Cooper após o assassinato de Laura, embora se sua aparição no filme serviu como um retcon ou simplesmente para implicar que sua confissão era uma mentira não ficou claro.

ReferênciasEditar